Saiba detalhes do acordo entre Inter e Esporte Interativo por Brasileirão

O colorado receberá até R$ 27,5 milhões por temporada

16:44

O colorado receberá até R$ 27,5 milhões por temporada



Por Zero Hora (Leandro Behs e Alexandre Ernst) - Ao assinar o contrato por dois anos com o canal Esporte Interativo para a venda dos direitos de transmissão de seus jogos no Campeonato Brasileiro para a TV a cabo, o Inter terá um ganho de pelo menos 660% com relação ao atual contrato. Hoje, o clube recebe R$ 3 milhões da Rede Globo — que detém os direitos de TV a cabo do Inter até 2018. A partir de 2019 e em 2020, quando o novo acordo entrar em vigor, o clube receberá por temporada entre R$ 22 milhões e R$ 27,5 milhões.

Leia mais:

Grêmio deve receber R$ 100 milhões de luvas da Globo pelo Brasileirão

Joinville confirma acerto com Esporte Interativo pelo Brasileirão

Para assinar com o Esporte Interativo, associado ao grupo norte-americano Turner Broadcasting, o Inter recebeu luvas de R$ 13 milhões. Santos, Atlético-PR, Bahia, Ceará, Joinville e Paysandu também já firmaram com o novo canal.

Um aditivo para mais quatro anos de contrato foi oferecido pela emissora ao Inter — incluindo novas luvas, na casa dos R$ 40 milhões. Essa extensão, porém, depende de aprovação do Conselho Deliberativo. O acordo até 2024 seria analisado na noite dessa segunda-feira pelos conselheiros, mas ele foi retirado de pauta. Houve muitos questionamentos sobre o acordo e a direção disponibilizou o contrato com o EI aos conselheiros que tiverem interesse em lê-lo antes que vá à votação no CD — e desde que assinem uma cláusula de confidencialidade. Não há prazo para que o tema volte à pauta no Conselho.

— O contrato com o Esporte Interativo é bom, não só para o Inter, mas para o futebol brasileiro. Até para aqueles clubes que assinaram a renovação com a Globo. As novas condições oferecidas pela Globo já foram bem melhores para quem assinou agora. E tudo isso justamente pela concorrência — disse o vice-presidente de marketing e mídia do Inter, Luiz Henrique Nuñez.

O clube ainda tem outras cinco mídias a negociar, a partir de 2019: TV aberta (que responde por até 80% dos valores percebidos pelo clube por temporada), internet, pay-per-view, mobile e transmissões internacionais. Pelo contrato atual entre Inter e Rede Globo, esse pacote todo rende ao Beira-Rio R$ 60 milhões por ano. O Grêmio, por exemplo, que acabou de assinar a renovação com a Globo, receberá por todas essas mídias algo entre R$ 110 e R$ 120 milhões ao ano, até 2024.

— O acerto de Inter e de Santos com o Esporte Interativo ajudou os demais clubes a ganharem mais da Globo. Não estamos em guerra com a Globo ou com a CBF. Queremos a concorrência. A Globo é nossa parceira, a permanência deles no mercado é tão importante quanto a entrada do Esporte Interativo — analisou Nuñez.

A direção colorada aposta que, daqui a dois anos, os direitos de transmissão dos jogos pela Internet serão a nova mina de ouro dos clubes. Nos bastidores, o clube aposta que poderá renovar seus demais contratos de mídia por valores até 100% superiores aos atuais.

— É claro que todo o negócio tem riscos, mas com certeza não receberemos menos do que R$ 120 milhões anuais. Decidimos correr esse risco para abrir o mercado. Queremos discutir com a Globo as outras renovações de contratos, mas manter por muitos anos os direitos na mão de um único competidor é prejudicial. Com a concorrência também queremos evitar a "Espanholização" do futebol brasileiro, com dois clubes ganhando da TV trezentas vezes mais do que nós — declarou Luiz Henrique Nuñez. — O Inter está dando uma contribuição importantíssima ao futebol — acrescentou o dirigente.

Como poucos clubes negociaram as transmissões de seus jogos com o Esporte Interativo (os demais grandes clubes do Brasileirão optaram pela Globo), hoje, os jogos do Inter com times que assinaram com a Rede Globo não seriam transmitidos por TV a cabo, apenas na TV aberta e no Pay-Per-View.

— Até 2019 tudo isso será muito discutido. O mercado se acomodará até lá. Não interessa a ninguém brigar e criar clima de conflito entre os clubes e a TV. Acredito em um grande acordo até lá, para que todas as redes possam transmitir todos os jogos de todos os clubes — aposta Nuñez.

Dono dos direitos de transmissão da Liga dos Campeões para a TV a cabo no Brasil, o Esporte Interativo busca consolidar a audiência no futebol nacional. Daí, a negociação com os grandes clubes do país.

— Estamos muito felizes porque a nossa entrada na disputa de direitos está beneficiando o futebol brasileiro em vários aspectos. Primeiramente, os clubes receberão mais de meio bilhão de reais como incremento ao ano, o que torna o futebol brasileiro mais forte e mais competitivo. Além disso, estamos satisfeitos por ajudar a aumentar outras linhas de receita dos clubes, ao darmos visibilidade aos patrocinadores, às suas ações de marketing e ao programas de sócio-torcedor — comentou Edgar Diniz, vice-presidente de esportes da Turner América Latina.

PLACAR DA NEGOCIAÇÃO


SporTV
Contrato assinado para 2019/2020: Corinthians, Vasco, Botafogo, Vitória, Sport, Cruzeiro, Atlético-MG e Fluminense
Contrato assinado para 2019/2024: São Paulo e Grêmio

Esporte Interativo
Contrato assinado para 2019/2020: Internacional
Contrato assinado para 2019/2024: Santos, Atlético-PR, Bahia, Ceará, Paysandu e Joinville
Ouça a Rádio Estação Play em seu Computador, Tablet ou Celular pelos aplicativos RadiosNet e TuneIn.
Curta a página oficial Portal Mídia Esporte no Facebook e @midiaesporte no Twitter.

Compartilhe

Editor e administrador do Portal Mídia Esporte.
Contato: midiaesporte@gmail.com

Leia mais

Próxima
« Anterior
Anterior
Próxima »