Galvão Bueno e Glória Maria se desentendem em transmissão da abertura da Olimpíada na Globo

Duelo entre Galvão e Glória pelo direito de falar marcou a exibição do evento pela emissora carioca

16:31
Galvão Bueno, Glória Maria, Marcos Uchôa e Renato Ribeiro comandaram a transmissão da abertura da Olimpíada
(Foto: Reprodução/Globo)

A Rede Globo escalou um time com nomes badalados para apresentar a cerimônia de abertura dos Jogos Olímpicos: o narrador Galvão Bueno, os repórteres Marcos Uchôa e Renato Ribeiro e a jornalista Glória Maria, que protagonizou vários desentendimentos com Galvão durante a transmissão, duelando a todo momento pelo direito de falar, segundo informações do portal UOL.

VEJA TAMBÉM

Confira as transmissões da Olimpíada na Globo de 5 a 9 de agosto

No início da transmissão, o narrador foi corrigido por Glória duas vezes. "Esses travesseiros...", disse Galvão ao ver um dos efeitos exibidos no início. "São tambores", retificou a jornalista. Em seguida, quando foram exibidos grupos de imigrantes que ajudaram a formar o Brasil, Galvão comentou: "Aí chegam os japoneses". E Glória: "São os asiáticos".

Em outro momento da cerimônia, entusiasmado com o que via, Galvão falou consigo mesmo: "Vamos falar pouco agora e observar". Porém, após 10 segundos, ele já estava falando novamente. Um pouco depois, enquanto Glória explicava algo que dispensava explicações, o narrador cortou: "Vamos ouvir, Glória!"

A disputa de egos continuou durante o desfile dos países. Galvão e Glória voltaram a se desentender sobre a importância do velocista jamaicano Usain Bolt. Na visão da repórter, o atleta está à altura dos maiores da história, o que pareceu um insulto para o narrador, que citou Pelé e Muhammad Ali como os melhores.

Vaias a Temer

Ao comentar sobre um momento-chave, a não menção ao nome do presidente interino Michel Temer, Galvão se limitou a dizer apenas que "Foi um pedido para que ele não fosse apresentado, então foi uma quebra de protocolo".

Momentos depois, ao comentar a recepção a Temer, o narrador registrou que ele foi recebido “sob vaias e alguns aplausos”. Fez uma pausa e corrigiu, atenuando a situação. “Sob vaias e aplausos”.

Emoção

Galvão abriu o coração e dividiu com o público os seus sentimentos sobre a cerimônia, que deu ênfase à questão da sustentabilidade: “Eu me emocionei, fui às lágrimas com o que eu vi. Um recado tão importante passado”, disse o narrador.

No final da transmissão, o narrador relatou que pesquisadores da emissora haviam atestado nas redes sociais um merecido reconhecimento internacional à qualidade da cerimônia. “O mundo inteiro está encantado”, disse. “É a mais politizada de todas as cerimônias que eu vi”.

Além da emoção, Galvão também não esqueceu de falar da alegria com a audiência que a Globo alcançou no decorrer da noite. Em alguns momentos, a emissora carioca ultrapassou a marca dos 30 pontos.

"Cala Boca Galvão"

As intervenções de Galvão durante a transmissão da Globo da cerimônia de abertura dos Jogos Olímpicos irritaram telespectadores que acompanhavam o evento.

Um dos momentos de maior irritação se deu quando o público presente no Maracanã cantou o hit "País Tropical", logo após Jorge Ben Jor terminar a sua apresentação. O narrador falou em cima da cantoria das arquibancadas e motivou várias queixas nas redes sociais.
Ouça a Rádio Estação Play em seu Computador, Tablet ou Celular pelos aplicativos RadiosNet e TuneIn.
Curta a página oficial Portal Mídia Esporte no Facebook e @midiaesporte no Twitter.

Compartilhe

Editor e administrador do Portal Mídia Esporte.
Contato: midiaesporte@gmail.com

Leia mais

Próxima
« Anterior
Anterior
Próxima »