Flamengo não aceita proposta de nova divisão das cotas de TV do Brasileirão

A insistência no tema incomodou o presidente do Flamengo, Eduardo Bandeira de Mello

15:00

A insistência no tema incomodou o presidente do Flamengo, Eduardo Bandeira de Mello

A diretoria rubro-negra descarta colocar o atual modelo de cotas em discussão (Foto: Pedro Martins/Gazeta Press

Na última terça-feira, os 18 clubes que carregam contrato de longo prazo com a Rede Globo estiveram reunidos em São Paulo para a apresentação dos números do pay-per-view do último ano. A princípio, o encontro seria restrito à divisão do dinheiro da venda dos pacotes, mas, com a proposta para rediscussão do modelo de pesquisa do sistema, as cotas pagas pela emissora acabaram sendo colocadas em pauta também.

Foi feita a sugestão para que um percentual da verba de direitos de transmissão fosse compartilhado de forma igualitária pelos times.

Eurico Miranda, do Vasco, foi um dos que concordou com a mudança no atual formato.

O mandatário cruzmaltino ressaltou apenas que não aceitaria que essa fatia chegasse a 50%, conforme ideia inicial.

O diretor executivo de esportes da Globo, Marcelo Campos Pinto, não descartou a possibilidade e citou até mesmo, durante a sua análise, o modelo da Premier League, adotado como referência pela Liga Sul-Minas-Rio, ou Primeira Liga, e que prevê o repasse de uma parte de forma igual entre todos e outras duas de acordo com o desempenho em campo e com a audiência.

A emissora gasta atualmente R$ 650 milhões com os direitos de transmissão da TV aberta.

A insistência no tema incomodou o presidente do Flamengo, Eduardo Bandeira de Mello, que pediu mais foco e afirmou que o objetivo da reunião não era debater as cotas.

Ele foi rebatido por outros dirigentes.

Atlético-MG, Atlético-PR, Bahia e Sport apoiariam a revisão. O Grêmio não se posicionou contrário, mas pediu mais tempo.

Existe a sensação entre alguns clubes de que o time rubro-negro não está disposto a ceder nada em seu discurso de desenvolvimento do futebol brasileiro e age apenas em causa própria.

Um exemplo citado é um dos pontos colocados na mesa por Bandeira de Mello em meio à discussão sobre o pay-per-view.

O representante do Fla quer que a pesquisa feita hoje por Ibope em conjunto com o Datafolha não se concentre apenas nas capitais e seja realizada também no interior. Essa seria uma forma, de acordo com os cartolas, do time da Gávea aumentar ainda mais a sua distância em relação aos demais e faturar mais.

A equipe, que assegurou novamente a primeira colocação no ranking, teve mais de R$ 70 milhões no novo rateio.

Em 2014, foram R$ 45 milhões, por exemplo.

Em 15 dias, os clubes devem se reencontrar em São Paulo e a proposta de mudança de cotas será discutida mais uma vez.

Ao todo, 18 times contam hoje com acordo com a Globo até 2018: Corinthians, São Paulo, Palmeiras, Santos, Flamengo, Vasco, Fluminense, Botafogo, Grêmio, Inter, Atlético-MG, Cruzeiro, Coritiba, Atlético-PR, Goiás, Bahia, Vitória e Sport.

Fonte: ESPN.com.br
Ouça a Rádio Estação Play em seu Computador, Tablet ou Celular pelos aplicativos RadiosNet e TuneIn.
Curta a página oficial Portal Mídia Esporte no Facebook e @midiaesporte no Twitter.

Compartilhe

Editor e administrador do Portal Mídia Esporte.
Contato: midiaesporte@gmail.com

Leia mais

Próxima
« Anterior
Anterior
Próxima »