Após ameaça, São Paulo vai renovar com a Globo por direitos do Brasileirão

O clube paulista teve que recusar a oferta em torno de R$ 25 milhões do Esporte Interativo para continuar com a atual, em torno de R$ 3 milhões

15:50

O clube paulista teve que recusar a oferta em torno de R$ 25 milhões do Esporte Interativo para continuar com a atual, em torno de R$ 3 milhões



A proposta do Esporte Interativo para os clubes cederem os direitos de transmissão para a tv fechada são muito maiores que a da TV Globo. R$ 500 milhões contra R$ 60 milhões. E o Esporte Interativo faz questão de dizer que são negociações diferentes. O fato de aceitar a proposta da TV fechada em nada influenciaria a negociação da TV aberta. São plataformas diferentes, independentes ente si.

Então, por que o São Paulo se recusa a aceitar uma oferta em torno de R$ 25 milhões e prefere continuar com a atual, em torno de R$ 3 milhões?

Porque a Globo, nas negociações, deixou claro que as plataformas podem ser independentes na teoria, mas não o são na prática.

Usou uma pressão totalmente normal no mundo capitalista.

Algo que pode ser resumido assim: “se você aceitar essa proposta por tv fechada, nós vamos te fazer uma oferta muito pequena para a tv aberta''.

Atualmente, o São Paulo recebe R$ 110 milhões pelo contrato de três anos. Corinthians e Flamengo recebem R$ 170 milhões. Se o São Paulo aceitar a proposta do Esporte Interativo, a diferença aumentaria muito. Não só pelo aumento das cotas de Corinthians e Flamengo, mas pela proposta indecente que seria feita ao São Paulo.

E por que o Santos aceitou? Porque já ganha muito menos. Para ele, o acréscimo vindo do Esporte Interativo valeria a pena.

Diante da realidade apresentada pela Globo – que não tem concorrência na TV fechada – não restou nada ao São Paulo senão negociar.

E o que me disseram algumas pessoas que tiveram acesso à negociação é que Ataíde Gil Guerreiro, representante do São Paulo, foi muito hábil e conseguiu dobrar a Globo em vários aspectos. A atuação de Ataíde o fortaleceu politicamente dentro do São Paulo.

O novo contrato contemplaria o São Paulo com:

1) Luvas de R$ 40 milhões, como o Esporte Interativo ofereceu.

2) Bônus pela classificação do clube, algo inaceitável até agora. Esse prêmio à meritocracia, conseguido pelo São Paulo, não será oferecido a outros clubes. A não ser que passem a lutar por ela, o que, com certeza, acontecerá.

3) Diminuição da diferença de cotas em relação a Corinthians e Flamengo.

Pesou também para a diretoria do São Paulo a tal visibilidade. Estando na Globo, é possível, segundo eles, ter um poder de barganha maior com os possíveis patrocinadores.

Conheça a proposta do EI ao São Paulo

O torcedor Daniel C.B. Augusto, também comentarista do programa Opinião Tricolor, na AllTV, teve acesso à proposta do Esporte Interativo para o São Paulo Futebol Clube, referente aos direitos de transmissão do Campeonato Brasileiro a partir de 2018, apenas para a TV fechada.

Ele divulgou a proposta em sua página do facebook e também a repassou a conselheiros do clube. Assim, acredita, que, ao contrário do que seria a decisão da diretoria, todo o Conselho tenha acesso às duas propostas: do Esporte Interativo e da TV Globo.

Abaixo, o documento enviado pelo Esporte Interativo ao São Paulo

Prezados, a partir de convocação do Conselho Deliberativo do SPFC, publicada no jornal O Estado de São Paulo, para assembleia a ser realizada no dia 23 de fevereiro, que tem como item da pauta “a apresentação e deliberação sobre o contrato a ser celebrado, relativamente aos direitos de transmissão dos jogos do Campeonato Brasileiro a partir de 2019” a Turner gostaria de apresentar a sua proposta para ter certeza que qualquer deliberação do Conselho será feita com base na comparação entre as duas propostas disponíveis ao SPFC. Nesse sentido detalhamos a proposta já apresentada relativa aos direitos de transmissão em TV Fechada do Campeonato Brasileiro da Série A:

· Definição dos direitos: direitos exclusivos de TV Fechada

· Período: 6 anos, de 2019 a 2024

· Valor da proposta: valor equivalente a R$ 550 milhões por temporada para os 20 clubes da Série A do Campeonato Brasileiro. Este valor é composto da seguinte forma:

o Valor de luvas de R$ 40 milhões para o SPFC, a ser pago uma semana após a assinatura do contrato.

o Valor anual equivalente a R$ 490 milhões por ano para os 20 clubes da Série A, a ser rateado segundo os seguintes critérios: 50% dividido igualmente entre os clubes; 25% em função de performance na competição; e 25% em função da audiência média dos jogos do SPFC exibidos na TV. Este valor de R$ 490 milhões será corrigido anualmente pelo IGP-M a partir de 2020.

· Os clubes que aceitarem a nossa proposta de TV fechada NÃO terão qualquer redução de receita dos seus contratos atuais de TV aberta ou Pay per View, pois os contratos em vigor são separados e independentes entre si, como determinado pelo CADE com o objetivo de permitir uma concorrência saudável pelos direitos. Os clubes continuarão livres também para negociar seus direitos de TV aberta e Pay per View de 2019 em diante. Ameaças e falta de clareza nas propostas não condizem mais com o ambiente de transparência que o país vive;

· A título de comparação, o valor do atual contrato de TV Fechada é de R$ 60 milhões por ano, este valor, corrigido por inflação, chegará em 2018 a aproximadamente R$ 68 milhões, equivalente a 12% dos R$ 550 milhões da nossa proposta.

· Visando a manter um ambiente de livre concorrência, o CADE determinou, em Termo de Cessação de Conduta de 20/10/2010 (Processo Administrativo 08012.006504/1997-11), que contratos referentes aos direitos de transmissão nas várias mídias (TV aberta, TV fechada, Pay Per View) sejam negociados de forma independente. Sendo assim, é de suma importância que o Conselho do SPFC tenha acesso à proposta da TV Globo para os direitos de TV Fechada, de forma separada e independente da proposta por direitos de transmissão em outras mídias, para que possa tomar as decisões que melhor atendam os interesses do SPFC.

Temos confiança de que o SPFC não se deixará confundir por uma estratégia de argumentos vazios que visam apenas a mascarar a diferença abissal entre as propostas apresentadas. O Esporte Interativo detém os direitos da UEFA Champions League no Brasil, maior competição de clubes do mundo (tendo vencido um consórcio formado por SporTV e ESPN), da NFL, além de transmitir mais de 300 eventos nacionais ao vivo por ano, entre eles a Copa do Nordeste, exemplo de competição bem-sucedida no cenário do futebol brasileiro. A Turner, a quem o Esporte Interativo pertence, é a líder do mercado de TV Fechada da América Latina e é a dona também dos canais Cartoon Network, TNT, CNN, Space, entre outros mais de 10 canais presentes no Brasil. A Turner é uma empresa do Grupo Time Warner, que tem valor de mercado de mais de R$ 200 bilhões. Portanto, qualquer tática negocial de colocar dúvidas sobre a capacidade do Esporte Interativo e da Turner de realizar as transmissões do Campeonato Brasileiro com excelência não passa de uma tentativa de tirar o foco da diferença colossal das propostas financeiras.

Para que não reste qualquer dúvida, nos colocamos à disposição para apresentar pessoalmente nossa proposta e tirar qualquer dúvida que possa existir.

Desejamos que o São Paulo Futebol Clube faça a melhor escolha sobre este tema que é de grande importância para o futuro do clube e também para o destino do futebol brasileiro.

Atenciosamente.

Fonte: Blog do Menon/UOL
Ouça a Rádio Estação Play em seu Computador, Tablet ou Celular pelos aplicativos RadiosNet e TuneIn.
Curta a página oficial Portal Mídia Esporte no Facebook e @midiaesporte no Twitter.

Compartilhe

Editor e administrador do Portal Mídia Esporte.
Contato: midiaesporte@gmail.com

Leia mais

Próxima
« Anterior
Anterior
Próxima »