CEO do Flamengo diz que valor de luvas da Globo não será "derramado" no futebol

O clube também confirma que tirou os direitos de internet da renovação de contrato do Brasileirão

17:12

O clube também confirma que tirou os direitos de internet da renovação de contrato do Brasileirão



Por Lance! (Igor Siqueira) - Já que o Conselho Deliberativo do Flamengo aprovou um novo contrato com a Globo, desta vez de 2019 a 2024, o clube já prevê como vai usar parte do dinheiro oriundo do acordo. Segundo o CEO do Fla, Fred Luz, os investimentos no futebol serão crescentes nos próximos anos. No entanto, ele puxa o freio da empolgação ao avisar que o valor a ser recebido pelo clube referente às luvas do acerto com a emissora de TV não serão "derramados" no futebol.

VEJA MAIS:

Flamengo aprova proposta da Globo por Brasileirão até 2024

- Dos R$ 120 milhões das luvas, R$ 70 milhões são agora e uma grande parte já vai para cobrir dívida, porque tem penhoras que incidirão sobre ela. Estamos deixando R$ 50 milhões para 19 e 21. Virão R$ 30 milhões em 2019 e R$ 20 milhões em 2021. Vamos ter uma discussão sobre onde vamos alocar. Não tem R$ 70 milhões para investir no futebol. É um número muito menor, talvez 10% disso. Mas a cada ano o Flamengo tem capacidade de investir mais no futebol. Esperamos que seja assim em 2017 também. Neste ano, investimos bem mais do que 2015 - afirmou Fred Luz ao LANCE!.

Segundo o dirigente, o momento do clube vai passar a ser de planejamento em relação aos investimentos e não de como "tapar os buracos" deixados pelas dívidas.

- O Flamengo vai ter que ser olhado não como alguém que está apagando incêndio do passado, mas como um clube que planeja melhor as fontes de recursos que vai ter. As discussões que vão começar a ser mais relevantes são as de orçamento. A ideia inicial dessa gestão era o botar o Flamengo nesse nível, criando um círculo virtuoso - assegurou, ressaltando que espera fechar 2016 com uma dívida menor do que o faturamento, cenário triplamente inverso em 2012, por exemplo.

Na negociação com a Globo ao longo dos últimos meses, o Flamengo não quis se precipitar para garantir a extensão somente até 2020, como fora oferecido pela emissora, mediante a condição de reduzir o valor do acordo que entrou em vigor em 2016 e vai até 2018.

- O contrato em vigor não mudou nada. Originalmente, no fim do ano passado, a Globo fez uma oferta de adiantamento, que reduzia de 2016 a 2018, para fazer 2019 e 2020. Alguns clubes assinaram, O Flamengo não achou interessante porque na visão do Flamengo haveria perda de dinheiro, o que não interessava - explicou Fred.

Em um contrato que garante ao clube permanecer no topo da lista dos que mais recebem verba da TV - com expectativa de crescimento caso a forma de pesquisa do pay-per-view mude -, o Flamengo terá como explorar itens que antes ficavam sob domínio da Globo. É a chance de receita adicional.

- Alguns ativos que antes eram propriedade da Globo estão desbloqueados nesse contrato, que são placas, direito de streaming (transmissão via internet), direitos de venda direta eventualmente e direito internacional. Mas isso é a partir de 2019. Temos agora três anos para aprender como se vende isso - comentou o CEO do clube.
Ouça a Rádio Estação Play em seu Computador, Tablet ou Celular pelos aplicativos RadiosNet e TuneIn.
Curta a página oficial Portal Mídia Esporte no Facebook e @midiaesporte no Twitter.

Compartilhe

Editor e administrador do Portal Mídia Esporte.
Contato: midiaesporte@gmail.com

Leia mais

Próxima
« Anterior
Anterior
Próxima »