Horário político faz TV Brasil perder conquista de medalha na Paralimpíada

“A propaganda eleitoral interrompeu, é a lei brasileira que determina que seja assim”, diz diretor de esportes da emissora

18:46
Reprodução

Única emissora da TV aberta que está transmitindo ao vivo à Paralimpíada do Rio de Janeiro, a TV Brasil não pôde exibir em tempo real o momento em que o Brasil conquistou sua 48ª medalha e alcançou seu melhor desempenho na história do esporte paralímpico.

VEJA TAMBÉM

Mais de 23 milhões de pessoas já assistiram à Paralimpíada pela TV

Segundo o site UOL, o time de nadadores brasileiros de revezamento 4 x 100 m livre já estava quase nos últimos 100 metros da final, em uma disputa pela medalha de prata, quando o sinal da TV Brasil foi abruptamente cortado.

No lugar dos atletas, foi exibida propaganda da minissérie italiana Rosella, que a TV Brasil está transmitindo. Enquanto Daniel Dias, Ruiter Silva, André Brasil e Phelipe Rodrigues já comemoravam a prata no Rio, a emissora transmitia a propaganda eleitoral obrigatória.

Quem não tinha outro meio de informação só soube que o time brasileiro tinha levado a prata no revezamento quase meia hora depois, quando o jornalista Maurício de Almeida entrou ao vivo no “Repórter Brasil” e comentou, meio de passagem, o feito dos nadadores.

O público só conseguiu ter imagens da natação, com a entrega de medalhas ao time do revezamento, 43 minutos depois do fim da prova, quando a TV Brasil exibia a partida entre Brasil e Turquia no basquete de cadeira de rodas. Em todo esse tempo não houve nenhuma referência ao corte abrupto da transmissão, muito menos um pedido de desculpas aos telespectadores.

Otávio Previde, o Magrão, diretor de esportes da TV Brasil, explicou o motivo de não ter exibido a prova da natação. “A propaganda eleitoral interrompeu, é a lei brasileira que determina que seja assim”, disse.

Ele afirmou que a emissora tentou flexibilizar o horário de entrada da propaganda eleitoral obrigatória, mas não conseguiu. “A gente pediu pro TSE, pros TREs, mas não autorizaram, os horários não se flexibilizam.”

Magrão também disse que o corte abrupto aconteceu por um atraso no início do revezamento. “Evitamos ao máximo colocar uma transmissão nesse horário [da propaganda eleitoral]. A prova era pra ter começado mais cedo, mas atrasou. Se ela começa no horário iria terminar um minuto antes da propaganda eleitoral.”

Alguns telespectadores foram ao Twitter reclamar de não terem podido ver a final do revezamento. “Se a gente não transmite reclamam, se a gente transmite e tem que cortar reclamam também”, disse Magrão. “Não tem jeito”, concluiu.
Ouça a Rádio Estação Play em seu Computador, Tablet ou Celular pelos aplicativos RadiosNet e TuneIn.
Curta a página oficial Portal Mídia Esporte no Facebook e @midiaesporte no Twitter.

Compartilhe

Editor e administrador do Portal Mídia Esporte.
Contato: midiaesporte@gmail.com

Leia mais

Próxima
« Anterior
Anterior
Próxima »