Header Ads

Insatisfeitos com divisão das cotas de TV, dupla Atle-Tiba pode deixar a Primeira Liga

Atlético-PR e Coritiba estão irritados com o modelo proposto e o privilégio ao Flamengo

Reprodução
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

A forma da divisão das cotas de TV poderá causar a saída de Coritiba e Atlético-PR da Primeira Liga. Insatisfeitos com o modelo proposto e o privilégio ao Flamengo, a dupla Atle-TIba ameaça deixar a competição.

Segundo informações do portal UOL, os clubes participantes da competição se reuniram com a Globo na semana passada e encaminharam um acordo de R$ 69 milhões por três anos de direito de transmissão para a TV aberta.

Durante a reunião, foi apresentada uma proposta de divisão das cotas em quatro níveis. O primeiro é o que mais dinheiro recebe e tem a presença apenas do Flamengo. Na segunda posição, fica o grupo que tem Fluminense, Grêmio, Internacional, Cruzeiro e Atlético-MG. No terceiro, ficariam Coritiba e Atlético-PR, enquanto que os outros convidados ficariam no 4º grupo.

"A nossa ideia inicial era que a divisão fosse baseada no modelo inglês, onde os clubes recebem a mesma fatia. E agora querem colocar o Coritiba em segundo plano. O meu vice-presidente chegou a aceitar isso na reunião, mas assim que ele me comunicou eu disse que não toparia. Não vou concordar de maneira alguma. O patrocinador não pode pagar mais ou menos para um ou outro", explicou ao UOL Esporte o presidente do Coritiba, Rogério Bacellar.

"Nós praticamente criamos esse grupo lá atrás. Eu iniciei o contato com a CBF para a gente organizar o primeiro encontro e dali saiu o segundo, o terceiro e o quarto encontro. Até a gente formar o grupo. A gente convidou todos os clubes para a formação de um ambiente democrático e agora querem fazer isso. Não vou aceitar de maneira alguma", repetiu o dirigente.

O Atlético-PR também não aceitou o proposto na reunião e, até por isso, a Primeira Liga não bateu o martelo na hora de anunciar o acordo com a TV Globo. Nenhum dirigente do clube foi localizado para conversar com o UOL Esporte, mas o problema foi revelado pela própria organização da competição.

Em contato com a reportagem, o CEO da Primeira Liga, José Sabino, admitiu o entrave. O dirigente, no entanto, disse acreditar em um acordo após novas conversas.

"A gente sabe da questão, especialmente do lado do Atlético-PR. Essa foi apenas uma ideia apresentada na reunião, mas vamos fazer outras assembleias para debater o tema. Ainda não temos uma posição fechada neste assunto", explicou.

Em setembro, a Primeira Liga anunciou a inclusão de seis novos clubes que não participariam da competição em 2017: Atlético Goianiense, Ceará, Tupi, Luverdense, Londrina e Brasil de Pelotas. Eles apenas participariam das discussões do grupo.

Neste ano, a novidade da tabela seria a participação de Chapecoense, Joinville e Paraná, que já faziam parte da Liga, mas não disputaram a competição em 2016. Vasco e Botafogo, alinhados politicamente com a Federação do Rio de Janeiro, disseram não aos convites.

Quer ficar por dentro de tudo que acontece nos bastidores da mídia esportiva em tempo real? Então curta nossas páginas no Facebook (facebook.com/midiaesporte) e Twitter (twitter.com/midiaesporte).
Tecnologia do Blogger.