Globo explica todos os detalhes da cobertura da Olimpíada; confira

Emissora carioca terá cerca de 10 horas diárias de conteúdo olímpico no ar durante os Jogos

22:13
Crédito: Reprodução

A menos de 30 dias da cerimônia de abertura dos Jogos Olímpicos Rio 2016, a Globo divulgou todos os detalhes de sua cobertura. Além das cerca de 10 horas diárias de conteúdo olímpico no ar, a emissora vai oferecer ainda um segundo canal exclusivo, complementar, na plataforma do Globo Play, disponível também no globoesporte.com. Aberto e gratuito aos usuários em todo o Brasil, o canal será o ‘Play nos Jogos’.

Na Globo, serão 160 horas no ar, mais de 100 horas de transmissões ao vivo entre os dias 3 e 21 de agosto. Um time entrosado com mais de 2 mil profissionais vai acompanhar de perto os 400 atletas da delegação brasileira e os grandes ídolos internacionais para levar o melhor da competição para a casa de cada torcedor: nos programas, transmissões e telejornais, cada detalhe das disputas, as performances dos atletas, a emoção dos pódios. Natação, atletismo, judô, vôlei, ginástica artística, basquete, vôlei de praia, handebol e o futebol estão entre as modalidades que terão maior destaque na tela da Globo.

Para ajudar a contar essas histórias, a emissora formou seu Time de Ouro, reunindo alguns dos mais importantes ídolos do esporte brasileiro. Guga, Hortência, Giba, Gustavo Borges, Daiane dos Santos, Flavio Canto, Maurren Maggi, Tande, Emanuel, Fabi, Shelda e Lars Grael. Doze ex-atletas que somam 20 medalhas olímpicas e dezenas de títulos mundiais vão usar a experiência de quem já esteve lá para comentar as competições e traduzir a emoção do atleta para o público. O Time de Ouro faz parte de um grupo de mais de 40 comentaristas, incluindo nomes consagrados do futebol como Ronaldo, Walter Casagrande, Junior, Caio Ribeiro e Juninho Pernambucano, e de outros esportes como o Tiago Splitter (basquete), Fernando Fernandes (canoagem de velocidade), Junior Cigano (boxe), Edson Luciano (atletismo), Ana Amorim (handebol) e Leandro Guilheiro (judô).

Para vencer o desafio logístico que uma Olimpíada realizada em casa representa – são 42 modalidades, com 306 disputas que valem medalhas, e competições simultâneas concentradas em 33 locais de uma única cidade –, a Globo dividiu sua equipe em dois grupos para viabilizar o deslocamento durante a competição. Uma parte trabalhará da sede da emissora, no Jardim Botânico, e vai cobrir os esportes que acontecem nas arenas do Maracanã, na zona Sul e no Parque Olímpico de Deodoro. A outra equipe terá como base uma redação da Globo montada no IBC (International Broadcaster Center). Em um espaço de 800 m2, repórteres, cinegrafistas, produtores e comentaristas terão seus postos de trabalho, ilhas de edição, salas de reunião de pauta, tudo que é preciso para que os profissionais coloquem no ar as matérias sobre os esportes que acontecerão no Parque Olímpico da Barra da Tijuca e no Engenhão.

É também no coração do Parque Olímpico da Barra que fica a casa da Globo nos Jogos. O Estúdio Olímpico será o camarote do público para o maior evento esportivo do planeta. Um espaço tecnológico, interativo e estrategicamente localizado, com uma visão privilegiada de todas as arenas. Todo em vidro e com uma área total de 500m2, tem três andares: no térreo, haverá um espaço de relacionamento com atividades interativas para convidados; no primeiro andar, estará o SporTV; e no segundo, a Globo. O espaço serve de base para as transmissões da Olimpíada, para receber convidados e para ancorar todos os telejornais de rede, do ‘Bom Dia Brasil’ ao ‘Jornal da Globo’. Fernanda Gentil e Alex Escobar se revezam como mestres de cerimônia do estúdio e levam a conversa do público sobre os Jogos para dentro da transmissão: um grande telão mostrará, ao vivo, a interação do público – de anônimos, atletas ou personalidades – através das redes sociais, com a ativação da #SomosTodosOlímpicos.

A estreia do estúdio acontecerá no dia 31 de julho, um domingo, quando o ‘Esporte Espetacular’ e o ‘Fantástico’ terão edições especiais, direto do Parque Olímpico. A partir de segunda-feira, dia 01º de agosto, todos os telejornais de rede também serão apresentados de lá, inclusive o ‘Jornal Nacional’, que contará com a participação diária de Galvão Bueno.

No dia 03 de agosto, a Globo transmite a primeira competição olímpica: a estreia da seleção brasileira feminina de futebol contra a China, um jogo que marca o início da caminhada da equipe da supercampeã Marta em busca do título. No dia seguinte, dia 4 de agosto, é a vez da seleção masculina entrar em campo contra a África do Sul, em busca do sonho do inédito ouro olímpico. Do estúdio olímpico da Globo, Galvão Bueno comanda a transmissão com a presença de convidados especiais. Na sexta-feira, dia 05 de agosto, a Globo abre espaço em sua grade para a transmissão da tão esperada Cerimônia de Abertura. Do ‘Jornal Nacional’ ao ‘Jornal da Globo’, a equipe – que terá nomes como Gloria Maria, Galvão Bueno, Marcos Uchoa, Renato Ribeiro e Pedro Bassan – traz todos os detalhes da congregação dos atletas, direto do Maracanã.

A partir do dia 06 de agosto, as disputas esportivas começam a acontecer simultaneamente e a Globo mexerá em toda a sua programação para levar o melhor dos Jogos Olímpicos para a casa de cada torcedor brasileiro. Quem perder qualquer lance, terá a chance de rever no ‘Balada Olímpica’, que esquentará as madrugadas com música, entretenimento e um balanço dos principais momentos que emocionaram o dia olímpico. Carol Barcellos e Flavio Canto comandam a atração, que receberá diariamente convidados especiais como Pedro Bial, Marcelo Adnet e Marcius Melhem.

E como não se faz transmissão de qualidade sem tecnologias inovadoras, na Globo, este é um capítulo à parte. A missão é fazer com que o público, que está em casa, se sinta cada vez mais próximo das arenas e dos atletas. As telas da TV aumentam de tamanho na mesma proporção em que a tecnologia entrega uma imagem com cada vez mais qualidade, aumentando também a vontade do público de interagir com o que está sendo visto. A mesa tática, que faz sucesso no futebol, sai dos gramados e invade as arenas olímpicas. Novas versões vão apoiar as transmissões de basquete, vôlei, vôlei de praia, handebol e até a natação. As projeções holográficas tiveram uma grande evolução em qualidade e dão mais destaque aos jogadores virtuais, em suas poses e reações, para que o público entenda melhor o que se passa no jogo. Na mesa tática do futebol, a evolução é um recurso impressionante: o da jogabilidade. A novidade agora é recriar jogadas, tal como em um videogame.

E como não se faz transmissão de qualidade sem tecnologias inovadoras, na Globo, este é um capítulo à parte. A missão é fazer com que o público, que está em casa, se sinta cada vez mais próximo das arenas e dos atletas. As telas da TV aumentam de tamanho na mesma proporção em que a tecnologia entrega uma imagem com cada vez mais qualidade, aumentando também a vontade do público de interagir com o que está sendo visto. A mesa tática, que faz sucesso no futebol, sai dos gramados e invade as arenas olímpicas. Novas versões vão apoiar as transmissões de basquete, vôlei, vôlei de praia, handebol e até a natação. Um recurso que aproxima ainda mais o público do jogo, porque ajuda os comentaristas a explicar as jogadas, as táticas e a estratégia de cada atleta em busca da melhor performance. As projeções tiveram uma grande evolução em qualidade e dão mais destaque aos jogadores virtuais, em suas poses e reações, para que o público entenda melhor o que se passa no jogo. No campo virtual do futebol, outro recurso impressionante: o da jogabilidade. A novidade agora é recriar jogadas, tal como em um videogame.

Mais um esporte faz companhia ao futebol no Campo Virtual. Agora o basquete também terá esse recurso, que permite que o comentarista ‘entre’ na quadra/campo e explique em detalhes as jogadas, as táticas e a estratégia de cada atleta em busca da melhor performance.

A transmissão também contará com a primeira Unidade Móvel 4K com interconectividade IP do mundo, na sua produção dos jogos de vôlei, no Maracanãzinho. A novidade é uma parceria com a Sony e a Imagine e visa garantir a melhor qualidade de imagem nas transmissões. A UM está preparada tanto para a tecnologia 4K quanto para as tecnologias futuras. Em outra parceria, desta vez com a emissora japonesa NHK, a Globo fará as primeiras transmissões em 8K ao vivo abertas ao público durante o evento. Segundo especialistas, o 8K oferece o padrão mais avançado em qualidade de imagem perceptível ao olho humano, com uma resolução 16 vezes superior ao HD. As sessões serão realizadas no Museu do Amanhã e incluem a transmissão das cerimônias de abertura e de encerramento, além de competições de diversas modalidades esportivas. As informações completas sobre a programação e a inscrição para as sessões estarão disponíveis no site do Museu do Amanhã - www.museudoamanha.org.br. A cada dia o público também poderá conferir o melhor dos Jogos em 4K, através de TVs conectadas, no Globo Play.

Como uma das características da Olimpíada é a simultaneidade das competições, a Globo vai oferecer um segundo canal exclusivo, 24 horas dedicado à transmissão dos Jogos Olímpicos, através de sua plataforma de video on demand, o Globo Play, e do globoesporte.com. Este canal, chamado ‘Play nos Jogos’, será gratuito e aberto aos usuários em todo o Brasil. Terá 24 horas de programação e vai oferecer conteúdo complementar ao que vai ao ar na TV aberta, com a transmissão de competições exibidas com exclusividade nas plataformas digitais, flashes dos melhores momentos do dia e, ainda, o programa ‘Balada Olímpica’. Os principais eventos esportivos exibidos pela Globo também estarão disponíveis nas plataformas digitais para todo o Brasil em simulcasting, ou seja simultaneamente à transmissão da TV. Além das transmissões ao vivo, o usuário também terá acesso a um material sob demanda, podendo pesquisar competições já exibidas em um catálogo organizado por atletas, modalidades esportivas e países que competem.

Mas a cobertura histórica da Globo não começa com o início dos Jogos Olímpicos. A partir do anúncio do Rio de Janeiro como sede de 2016, a Globo sabia que mais do que telespectadores, o brasileiro seria também anfitrião deste grande evento, onde esportes muito populares se misturam a outros pouco conhecidos. Por isso, o projeto olímpico começou 500 dias antes da cerimônia de abertura, em março de 2015.

Sob o conceito Somos Todos Olímpicos, a Globo embalou sua programação e sua comunicação para despertar o espírito olímpico que existe em cada um dos brasileiros. Muito além de uma competição, os Jogos Olímpicos são o maior exemplo mundial de inspiração e superação de desafios. O conceito traça esse paralelo entre a motivação que leva atletas a superar limites e pessoas comuns a conquistar seus sonhos. Na comunicação, a assinatura ‘Somos Todos Olímpicos’ aparece em filmes institucionais, muitos deles não relacionados diretamente a esportes, como no da contagem de um ano para a competição, da volta às aulas, do Dia Internacional da Mulher, da Ação Global 2016, dos filmes de contagem regressiva e do mais recente, batizado ‘Looping’. O filme mostra que no esporte, como na vida, não há final, só recomeços. Não existe linha de chegada para atletas. Quando um recorde é batido, abre-se espaço para que nova marca seja alcançada. É assim que os atletas vencem e nos inspiram a vencer.

O conceito também foi traduzido em música, com versões gravadas pela Orquestra Sinfônica de Los Angeles e por nomes consagrados da música brasileira como Zeca Pagodinho, Michel Teló, Carlinhos Brown, Luan Santana e Ivete Sangalo. Apresentada ao público no início de 2016, a música passou a assinar os conteúdos dedicados aos Jogos Olímpicos Rio 2016, envolvendo toda a programação da Globo no mesmo espírito olímpico.

Ampliando o engajamento além da tela da TV, o movimento de coletividade invade também as redes sociais. Importante ponto de conversa e interação com os brasileiros, os perfis da Globo reforçam o espírito olímpico das demais plataformas. Uma contagem regressiva foi iniciada quando faltavam 100 dias para o início dos Jogos Olímpicos, elaborada a partir de imagens de talentos esportivos e comentaristas do ‘Time de Ouro’ da Globo. O ponto alto da contagem é a participação do público, que diariamente encaminha fotos sobre o espírito olímpico para publicação nas redes. Durante o evento, os perfis da Globo vão trazer conteúdo exclusivo do estúdio olímpico e dos locais em que as competições estiverem sendo realizadas. O pacote de ações conta também com a ativação da hashtag #SomosTodosOlímpicos, em uma iniciativa colaborativa para que as pessoas mobilizadas pelo espírito olímpico compartilhem suas fotos.

O ‘Somos Todos Olímpicos’ também embala as reportagens que, desde março de 2015, explicam modalidades, apresentam os atletas que vão nos representar e os grandes ídolos internacionais, além de relembrar histórias marcantes de olimpíadas passadas. Até o fim dos jogos, mais de 2.500 reportagens e 30 séries especiais com temas olímpicos terão sido exibidas nos programas e telejornais da emissora.

Nesta reta final, o ‘Jornal Nacional’ traz a série especial ‘Perfis’, projeto que teve início na Copa do Mundo com histórias dos jogadores da Seleção Brasileira comandado pelo Tino Marcos, e que agora sai dos gramados e invade as quadras e pistas olímpicas. A partir do próximo dia 11 de julho, Pedro Bassan conta 16 trajetórias de atletas brasileiros para emocionar o público. O campeão olímpico Arthur Zanetti é o personagem da estreia. Thiago Pereira, da natação, Fabiana Claudino, do vôlei, Sarah Menezes, do judô, Yane Marques, do pentatlo, e Izaquias Queiroz, da canoagem, são alguns dos perfis que também terão destaque na série. Para produzir a reportagem, Bassan se dedicou ao projeto durante um ano, realizou 21 viagens onde gravou 170 horas em busca das histórias, curiosidades e intimidade dos atletas que representarão o Brasil.

No dia 17 de julho, é a vez de Flavio Canto estrear a série ‘Eficientes’, no ‘Esporte Espetacular’, que conta as histórias de três atletas paralímpicos do país. Com um ouro e uma prata em Jogos Paralímpicos no atletismo, Alan Fonteles dá início à série. Em seguida, o público conhece a história de vida do 11 vezes campeão paraolímpico de natação Daniel Dias e a dona de quatro medalhas no atletismo, Terezinha Guilhermina.

A maratona olímpica se estende também para a internet. No globoesporte.com, a competição começa mais cedo. A partir do dia 10 de julho, o portal mergulha no evento e ganha novo visual em toda sua estrutura, da home ao feed de notícias. Cerca de 150 profissionais estarão dedicados exclusivamente ao globoesporte.com, nas ruas, arenas e na redação durante os Jogos Olímpicos. Das modalidades mais populares às mais inusitadas, 100% das competições serão cobertas pelo portal, para que o público tenha acesso a tudo sobre seu esporte favorito. Antes de os Jogos começarem, o público poderá aproveitar séries de projetos especiais, com infográficos, vídeos e interatividade. Durante a competição, além dos dois canais ao vivo – Globo e o Play nos Jogos –, o site terá cobertura de todas as provas e placares atualizados em tempo real, disponibilizados na home, para que público saiba rápido tudo o que está acontecendo naquele momento na Olimpíada.
Ouça a Rádio Estação Play em seu Computador, Tablet ou Celular pelos aplicativos RadiosNet e TuneIn.
Curta a página oficial Portal Mídia Esporte no Facebook e @midiaesporte no Twitter.

Compartilhe

Editor e administrador do Portal Mídia Esporte.
Contato: midiaesporte@gmail.com

Leia mais

Próxima
« Anterior
Anterior
Próxima »