Header Ads

Por falta de cabine, locutor narra jogo do gramado em Pernambuco

Iran Carvalho, da Rádio Jornal de Caruaru, teve que narrar o jogo entre Serra Talhada e Central na beira do gramado do estádio Pereirão

Foto: Anderson Gomes/Twitter
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

A situação de quem trabalha como narrador esportivo de rádio em vários lugares do Brasil não é nada fácil. Devido à falta de estrutura de muitos estádios para a imprensa, muitos profissionais têm que improvisar para não deixar de transmitir os jogos.

Foi exatamente isso que aconteceu com o narrador Iran Carvalho, da Rádio Jornal de Caruaru. Ele teve que narrar o jogo entre Serra Talhada e Central, válido pela quinta rodada da primeira fase do Campeonato Pernambucano, na beira do gramado do estádio Nildo Pereira, o Pereirão, em Serra Talhada, cidade que fica a 415 km de Recife.

O fato foi relatado pelo jornalista Anderson Gomes. Em suas redes sociais, ele registrou fotos do narrador trabalhando no gramado e depois na arquibancada por falta de condições na cabine do estádio.









Em entrevista ao site 'Globoesporte.com', Iran Carvalho conta tudo o que passou no Pereirão:

"Quando eu cheguei lá, três horas antes do jogo, a empresa telefônica tinha instalado nossa linha em uma das menores cabines do estádio para dividir com cinco pessoas, mas nem o material deu para a gente montar, por ser muito pequena a cabine. Então, como não tinha mais cabines disponíveis, e eu tenho a credencial que dá acesso ao campo, eu pensei em puxar um cabo e dar uma de repórter e narrar o jogo de lá do campo mesmo, porque pelo menos lá tinha o alambrado para me proteger da torcida", disse.

"Mas quando estava lá narrando o jogo, com 15 ou 20 minutos, chegou o delegado da partida dizendo que não podia transmitir o jogo dali e queria me deslocar para outro local. Então eu disse para ele: "Se o senhor conseguir um local digno para que eu possa trabalhar, não tem problema, eu vou. Então ele disse que eu iria ficar no meio da torcida. Mas respondi: 'Eu no meio da torcida? Com o barulho do povo, e outra coisa, eu estou fazendo o time visitante, no meio de torcedores da casa, e minha vida?'. Então ele solicitou quatro policiais militares, pediu para polícia afastar o povo em um local da arquibancada e fiz todo o resto do jogo escoltado", conclui.

A Federação Pernambucana de Futebol (FPF) ainda não se pronunciou sobre o ocorrido.

Quer ficar por dentro de tudo que acontece nos bastidores da mídia esportiva em tempo real? Então curta nossas páginas no Facebook (facebook.com/midiaesporte) e Twitter (twitter.com/midiaesporte).

Quer anunciar no Portal Mídia Esporte? Entre em contato com a nossa equipe no email midiaesporte@gmail.com e solicite uma proposta.
Tecnologia do Blogger.