Globo e Esporte Interativo podem ser processados por direito de arena do Brasileirão

Entidade pode abrir ação judicial contra as emissoras caso os jogadores não recebam 5% do valor pago como luvas aos clubes

15:46
Crédito: Reprodução

A Federação Nacional dos Atletas Profissionais de Futebol (Fenapaf) pode acionar a Rede Globo e o Esporte Interativo na Justiça caso os jogadores não recebam 5% do valor pago como luvas aos clubes pelos contratos de transmissão do Campeonato Brasileiro na TV fechada entre 2019 e 2024.

VEJA TAMBÉM

Esporte Interativo muda comportamento e não procura mais clubes sobre direitos do Brasileiro

Segundo informações do site Lancenet, a entidade entende que a bonificação paga aos clubes de futebol faz parte do contrato de transmissão e tem se reunido com representantes jurídicos para acionar as emissoras na Justiça.

O presidente da Fenapaf, Felipe Augusto Leite, chegou a se reunir com representantes do canal esportivo da Turner para pleitear o percentual do direito de arena sobre as luvas pagas aos clubes mas não houve acordo.

Segundo Cristiano Caús, advogado do Santos - um dos clubes que fechou contrato com o Esporte Interativo para a transmissão do Brasileiro de 2019 a 2024 -, o valor pago como luva no contrato não entra como direito de arena.

"Há vários argumentos jurídicos que descaracterizam esse pagamento como direito de arena, como ser um valor que corresponde a uma premiação e não ser pago pela transmissão de uma temporada", comentou.

O Esporte Interativo preferiu não se pronunciar sobre a intenção da entidade pois não recebeu nenhuma notificação sobre a ação judicial. Já a Globo não retornou o contato da publicação.
Ouça a Rádio Estação Play em seu Computador, Tablet ou Celular pelos aplicativos RadiosNet e TuneIn.
Curta a página oficial Portal Mídia Esporte no Facebook e @midiaesporte no Twitter.

Compartilhe

Editor e administrador do Portal Mídia Esporte.
Contato: midiaesporte@gmail.com

Leia mais

Próxima
« Anterior
Anterior
Próxima »