Fim das transmissões do Brasileiro na Band vai além da crise financeira, dizem especialistas

Avaliação do mercado é que saída da Band do futebol impacte tanto a emissora quanto os clubes

16:26

Na última terça-feira (3), saiu a notícia de que a Band vai deixar de transmitir o Campeonato Brasileiro, o que pegou o mercado de surpresa. Para alguns especialistas que foram entrevistados pelo site Meio e Mensagem, o fim das transmissões do torneio vai além dos problemas financeiros que a emissora alega ter impedido de continuar com o acordo de licenciamento que tinha junto à Globo nos últimos dez anos.

Rodrigo Almeida, diretor de Mídia da W3haus, comenta que com a decisão, a Band perde apelo comercial junto ao mercado de agências e anunciantes. “Embora seja uma emissora sólida e com ampla capacidade de se reinventar com agilidade.” Em relação à audiência, Almeida reforça que o grande público raramente fica dependente de apenas uma fornecedora de conteúdo. “Por isso o Pay TV ganha ainda mais força como uma das opções mais viáveis para os telespectadores”, ressalta.

+ Sem Brasileirão, Band mantém transmissões da Fórmula Indy

+ Band tenta motivar profissionais do esporte após saída do Brasileirão, diz colunista

+ Globo não descarta possibilidade de dividir Brasileirão com Record

Anderson Gurgel, professor de comunicação e marketing esportivo do Mackenzie, explica que o argumento da crise econômica é real, mas também conveniente. “Na prática, o modelo de negócios estabelecido pela parceria Globo e Band nunca permitiu à Band realmente explorar o máximo o potencial de negócios, pois sempre houve um alinhamento obrigatório, o que exigia que a emissora paulista sempre mostrasse os jogos que a emissora carioca mostrava”, diz Gurgel.

Segundo o especialista, também não deixa de ser mais um movimento na mudança do modelo de transmissão do futebol no Brasil, que está agitado com a entrada de novos players e mudança dos hábitos dos consumidores. Gurgel se refere ao movimento protagonizado recentemente por Esporte Interativo, de propriedade da Turner, que disputa a transmissão do Brasileirão na TV a cabo com o SporTV, da Globosat. O assunto, inclusive, está no Cade que questionou a Globo sobre a negociação com os clubes.

A saída da Band do Brasileirão também impacta os clubes, diz Amir Sommogi, especialista em negócios esportivos. “A Band tem um papel fundamental para compor as audiências do futebol no Brasil. Se uma partida na Globo dá 20 pontos e 6 na Band, o mercado sempre leu como 26 pontos, e isso ao que parece não teremos mais.” Ele também ressalta o fortalecimento da TV paga. “Outra questão é a migração do futebol somente para TV fechada e PPV. Ainda que pareça difícil acontecer, já que a Globo fatura alto com seus anunciantes do pacote futebol, as quedas das audiências podem acarretar em migração somente para a TV fechada.”

Ivan Martinho, vice-presidente de vendas e marketing da Traffic Sports, afirma que a Band segue com a marca de “canal do esporte”. “Entendo que os investimentos feitos pela emissora na cobertura de Rio2016 tenham tirado o fôlego para seguirem com outras propriedades esse ano mas estou certo que em 2017 estarão de volta com força total no futebol”, completa.

Fábio Wolff, sócio fundador da Wolff Sports & Marketing, acredita que a ausência da TV Bandeirantes limitará as opções do mercado. “Pois com a Globo, a Band potencializava a exposição do evento na TV aberta nacional.”

Faltando uma semana para o início do Brasileirão, ainda não há definição sobre quem vai transmitir o campeonato na TV aberta ao lado da Globo. Há quem diga nos bastidores que a emissora não deseje exibir o torneio sozinha e que por isso já teria procurado outros canais, como TV Brasil, SBT, RedeTV! e Record.
Ouça a Rádio Estação Play em seu Computador, Tablet ou Celular pelos aplicativos RadiosNet e TuneIn.
Curta a página oficial Portal Mídia Esporte no Facebook e @midiaesporte no Twitter.

Compartilhe

Editor e administrador do Portal Mídia Esporte.
Contato: midiaesporte@gmail.com

Leia mais

Próxima
« Anterior
Anterior
Próxima »